Colação de grau 2017.1 da UFC Virtual contou com discurso pertinente e poético da Profª Glória Tavares, representante docente

 

No dia 9 de agosto de 2017, tivemos 160 alunos do Instituto Universidade Virtual (UFC Virtual) participando de um dos momentos mais aguardados da vida de um estudante universitário: a colação de grau. Uma participação bem especial para os cursos de educação a distância foi o discurso da professora Glória Tavares que representou o corpo docente nesse terceiro dia de colação 2017.1, nossa coordenadora do curso de Letras Inglês a distância.

Ao todo, 144 alunos dos cursos de graduação a distância (3 em Administração, 36 em Administração Pública, 6 em Física, 8 em Letras Espanhol, 11 em Letras Inglês, 46 em Letras Português, 10 em Matemática e 4 em Química) e 16 em Sistemas e Mídias Digitais tornaram-se oficialmente licenciados e bacharéis.

No discurso, a profª Glória instigou os formandos com as seguintes questões: “Quem somos nós? Quem são vocês?” e fez os presentes refletirem que “somos agentes de mudança. Cada um ao desempenhar de forma ética, honesta a profissão que hoje conquista, estará verdadeiramente transformando o Brasil”.

Acompanhe o discurso na íntegra:

Boa noite.  Primeiramente...... Parabéns a todos os formandos que aqui estão e a todos os seus familiares.

Ao aceitar ser oradora docente, eu me vi diante de um desafio. O desafio de aqui traçar, por meio de palavras, um caminho permeado pelo equilíbrio entre este feliz momento de vitória de todos vocês formandos e o triste atual cenário brasileiro.

Sim, este é um feliz momento! Todos vocês que aqui estão concluíram um curso superior em universidade pública, uma das melhores do país, a Universidade Federal do Ceará.

Ah quem dera eu pudesse apenas falar sobre essa jornada desafiadora e vitoriosa de todos vocês. Porém, eu seria incoerente se assumisse um discurso em tom de conto de fadas.

Não posso ignorar o fato de que vivemos um triste capítulo de nossa história. Então, penso que minha fala deve sinalizar principalmente três aspectos: a vitória que hoje celebramos, o triste momento de nosso país e nossa posição, nossa missão, tarefa diante de ambos: vitória e cenário.

Nos momentos mais adversos de nossa história, a universidade tem sido palco de luta, consciência e inspiração.  Que seja assim agora, que estamos aqui todos juntos.

Ouço dizer que me sinto parte da letra dos Engenheiros do Hawaii: “vivendo num país sedento um momento de embriaguês”. Em nosso país atualmente sedento de ética, honestidade e clareza, vivemos a alegria e a realização de vocês formandos.

Então, pedindo licença a Milton Nascimento, eu digo que “quero falar de uma coisa, advinha onde ela anda, deve estar dentro do peito ou caminha pelo ar”.

 O que será essa coisa? Vivemos uma realidade adversa, nesse momento, o Brasil não é um país de todos.

Hoje, vivemos soterrados em escombros de escândalos políticos.

Hoje, estamos ensurdecidos por canais de TV anunciando áudios reveladores de todas as sortes de improbidades.

Hoje, estamos assustados por conchavos políticos espúrios que lesam a dignidade do povo brasileiro.

Hoje, estamos aqui trabalhando, realizando a cerimônia de colação de grau de nossos alunos da UFC. Hoje centenas de alunos iniciam uma jornada profissional dentro de nosso país tão sedento de honestidade, ética e valorização da educação pública. 

Hoje somos vitoriosos, vocês formandos e todos nós que fazemos a UFC.

Não apenas por este momento de colação de grau,

Mas acima de tudo porque desde sempre e principalmente diante do atual cenário, estudar  é um ato de resistência, transformação, ascensão. E por que não dizer que diante de tudo que vemos acontecer nesses últimos meses, que estudar é um ato verdadeiramente revolucionário?

 E nós? E a coisa da qual eu disse que iria falar no inicio, pegando emprestando as palavras de Milton?

Primeiramente sobre nós...

Se pensarmos que a universidade forma profissionais que atuarão nas mais diversas áreas: médicos, advogados, professores, engenheiros, filósofos.... Perceberemos que ela faz jus ao nome: um universo!

Por aqui passam milhares de pessoas que mais tarde irão prestar serviços a nossa sociedade. Nós todos exercemos nosso trabalho prestando algum benefício para o mundo em que vivemos.

E quem somos nós? Quem são vocês?  Somos agentes de mudança. Cada um ao desempenhar de forma ética, honesta a profissão que hoje conquista, estará verdadeiramente transformando o Brasil.

A corrupção começa dentro de cada um de nós, está em todos os lugares. E, portanto, deve ser combatida por cada um de nós em todos os lugares. Em nossa casa, na universidade, na profissão que desempenhamos.

Como agentes de mudança, nós somos resistência, nós somos combate, nós podemos, sim, gritar fora a toda e qualquer combinação política que não faça do Brasil um país de todos!

E a coisa? Da qual eu que iria falar no inicio, o que será? Ora, não podemos ser mecânicos agentes de mudança, não podemos atuar num vácuo.  Precisamos atuar, lutar e resistir cheios dessa coisa.

Essa coisa forte e linda que está nos versos de Mário Quintana e na letra de Maneva.

Essa coisa que na letra de Maneva: se cria em corações guerreiros, uma coisa que crê na vontade que vamos lutar de verdade contra qualquer tempestade, essa coisa levanta quem  já sofreu, que encanta, essa coisa que está na ponta da lança, na alma que canta o poder de voar.

Essa coisa que é a louca do poema de Mário Quintana. Conhecem?  A louca que mora no décimo segundo andar do ano e quando escuta as sirenes e buzinas, atira-se.

E oh delicioso voo!

Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada.

Outra vez criança.

E em torno dela indagará o povo:

 - Como é o teu nome, meninazinha de olhos verdes?

E ela lhes dirá (eh preciso dizer-lhes tudo de novo).

Ela lhes dirá bem devagarzinho para que não esqueçam:

- O meu nome é es-pe-ran-ça.

A coisa é a esperança!

Assim concluo reafirmando que neste momento feliz de vocês, dentro do nosso triste atual cenário somos agentes de mudança e assim sendo, a esperança deve estar em nós.

Voltando a Milton, agora vou me despedindo de vocês e dizendo que “com certeza, um dia, amigo, a gente vai se encontrar”. E que esse encontro, tomara, aconteça em “dias melhores pra sempre”.

“Somos quem podemos ser! Sonhos que podemos ter”.

Muito obrigada.

 

 

MAIS FOTOS DO DIA 3 DE COLAÇÃO DE GRAU NO FLICKR DA UFC, NO ÁLBUM:
Colação de Grau 2017.1 - Dia 3 

Quem somos

A Universidade Federal do Ceará-UFC tem experiência de mais de 40 anos na oferta de cursos de graduação e pós-graduação, pesquisa e extensão.
Com excelente conceito junto à...   Leia mais

Parcerias